• Publicidade

Homeopatia: semelhante cura semelhante

homeopatiaFamosa por tratar das causas dos males, a homeopatia é uma terapia que se baseia na utilização de substâncias altamente diluídas capazes de aliviar os sintomas de diversas doenças e condições, tais como gripe, sinusite e infecções de ouvido, sem trazer efeitos adversos. Muito polêmica por se utilizar das mesmas substâncias que provocam os males em pessoas saudáveis, a homeopatia é às vezes vista como apenas placebo.

Neste artigo, trataremos com maiores detalhes a respeito dessa terapia. Para começar, vamos conhecer melhor a história da homeopatia.

A história da homeopatia

O princípio da homeopatia de que “semelhante cura semelhante” (do latim, Similia Similibus Curentur) já era defendido pelo pai da medicina, Hipócrates, no século IV a. C., na Grécia Antiga.

No entanto, a homeopatia em si surgiu somente no século XVIII, com o médico alemão Christian Samuel Hahnemann. Fascinado com as propriedades antimaláricas da quinina, substância presente em árvores do gênero Cinchona, Hahnemann resolveu fazer testes em cobaias. Esses testes serviam para verificar se essa e outras substâncias realmente poderiam ser aproveitadas como remédios.

Depois dos experimentos, percebeu-se que o uso excessivo da quinina em pessoas saudáveis provocava sintomas parecidos com os da malária. Isso era muito curioso, já que se tratava da mesma doença que doses menores da substância curavam. O mesmo foi observado no estudo de outras substâncias medicamentosas. Desde a época de Hahnemann, as fórmulas dos medicamentos homeopáticos não sofreram alterações significativas. O uso desses mesmos remédios continua a apresentar resultados positivos.

Como funciona a homeopatia?

Os princípios da homeopatia assemelham-se ao princípio básico das vacinas. Isto é, o causador da doença é utilizado como forma de prevenção ou tratamento da mesma. Uma vacina destinada à prevenção de uma doença qualquer nada mais é do que o agente patológico inativo. Esse agente, quando inserido dentro do organismo humano saudável, incentiva a produção de anticorpos prontos para combate-lo. Então, quando o organismo entrar em contato com o agente patológico ativo, ele será capaz de defender-se.

Semelhantemente, a homeopatia utiliza-se de doses extremamente reduzidas (diluídas em água) de princípios ativos das substâncias causadoras dos males. Isso faz, segundo os homeopatas, com que o organismo crie por si só defesas contra os agentes causadores dessas doenças.

A principal diferença entre as vacinas e a homeopatia é que esta última apresenta o agente em uma concentração realmente ínfima. Algumas soluções homeopáticas, conhecidas como 30c, apresentam o princípio ativo da substância original diluído na ordem de 1 para 10e60, isto é, em um recipiente contendo 10e60 (1 sucedido por 60 zeros) litros de água encontraremos apenas 1 litro do princípio ativo da substância. As soluções menos diluídas são da ordem de 1 litro de princípio ativo para 1 milhão de litros de água.

Homeopatia é placebo?

O efeito placebo ocorre quando uma pessoa doente toma, por exemplo, um comprimido falso, que não possui nenhum princípio ativo, confiando que se trata de um medicamento. Pouco tempo depois, a pessoa não apresenta mais os sintomas da doença graças ao efeito mental provocado pela crença de que o comprimido era um remédio eficaz. A fé do paciente acaba produzindo os resultados.

Médicos defensores da homeopatia, no entanto, argumentam que a água possui memória, isto é, após um primeiro contato da água com o princípio ativo, as moléculas do fluido passam a se comportar como se o remédio estivesse presente homogeneamente. A explicação para isso estaria no cruzamento dos campos eletromagnéticos das moléculas da água e do princípio ativo. Dessa forma, a homeopatia não seria apenas placebo.

Principais males tratados pela homeopatia

  1. Gripe e resfriados: 

    Segundo as teorias da homeopatia, a gripe é causada por predisposição genética e abalos emocionais. Aliás, os sintomas psíquicos, para a homeopatia, são de fundamental importância para entender o que se passa com o paciente. Medicamentos homeopáticos podem prevenir e tratar os sintomas da gripe. Os mais recomendados são o Phosphorus CH5, para prevenção, e o Influenzinum CH12, para combate dos sintomas.

  2. Infecções nos ouvidos: 

    De acordo com um estudo de 1997, “The homoeopathic treatment of otitis media in children – comparisons with conventional therapy”, os medicamentos homeopáticos, no tratamento de dores de ouvido, são mais eficazes do que os remédios alopáticos convencionais, além de estarem livres dos efeitos colaterais proporcionados pelos antibióticos.

  3. Estresse: 

    A homeopatia ajuda a combater o estresse à medida em que os pacientes são tratados pelo médico homeopata individualmente e de forma personalizada. A terapia é muitas vezes recomendada por psicólogos e os remédios utilizados complementarmente são feitos “sob medida” para cada paciente.

  4. Insônia: 

    A homeopatia trata também a insônia e outros distúrbios do sono. O tratamento consiste numa abordagem ampla do indivíduo e das possíveis causas psicológicas que levaram ao desequilíbrio orgânico explicitado nesses distúrbios.

Como vimos, a homeopatia é uma terapia alternativa bastante polêmica, mas que apresenta diversos resultados positivos no decorrer de sua história. A homeopatia é recomendada como tratamento alternativo para quaisquer pessoas que desejem usufruir de melhores saúde e qualidade de vida.

Se você gostou deste artigo, compartilhe com seus amigos e familiares e deixe seu comentário!

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

  • Publicidade