• Publicidade

Amigdalite: a principal causa da dor de garganta

amigdaliteTodo mundo já teve dor de garganta ou sentiu dificuldade para engolir, seja por causa de um resfriado ou uma gripe. A principal causa desses problemas, no entanto, é a amigdalite, uma inflamação nas amígdalas causada por vírus ou bactérias, sendo a infecção viral mais grave que a bacteriana. Além da dor de garganta, a amigdalite pode trazer outros sintomas desagradáveis, como febre e dores de cabeça. Neste artigo, traremos maiores detalhes a respeito dessa condição, esclarecendo suas causas e expondo seus sintomas e tratamento. Para começar, vamos entender melhor o que é a amigdalite.

O que é a amigdalite?

A amigdalite, em sua definição mais simples, é a inflamação das amígdalas. As amígdalas, por sua vez, são órgãos linfáticos que se encontram no topo da garganta (amígdala rino-faríngea), no fundo do céu da boca (amígdalas palatinas) e na base da língua (amígdalas linguais). Elas servem para combater microrganismos que invadem o corpo através do nariz ou da boca. Auxiliando na defesa do organismo, elas configuram-se em importantes aliadas do nosso sistema imunológico. A inflamação das amígdalas (amigdalite) é causada pelos próprios microrganismos por elas processados diariamente.

Quais as causas da amigdalite?

Entre as principais causas da amigdalite, podemos citar:

  1. Alimentação inadequada: 

    Bebidas muito quentes ou muito geladas podem provocar amigdalite. Deve-se, portanto, evitar o consumo excessivo de café quente e sorvetes, por exemplo. Condimentos em excesso na comida, como ketchup e mostarda, também podem ser a causa do problema. É melhor não exagerar.

  2. Consumo de álcool em excesso: 

    O álcool, em especial a cerveja gelada, pode agravar a inflamação.

  3. Choques térmicos: 

    Tanto choques térmicos internos quanto externos podem provocar a amigdalite. O choque térmico interno consiste em ingerir bebidas muito geladas em dias muito quentes, quando o corpo ficou exposto ao Sol por muito tempo, por exemplo, ou o contrário: ingerir bebidas muito quentes em dias muito frios. O choque térmico externo, por sua vez, ocorre quando, por exemplo, em um dia muito quente, a pessoa entra em uma piscina gelada. O choque térmico faz com que as bactérias que se encontram no ar ou nos alimentos encontrem condições propícias para atacar as amígdalas e causar infecções.

Os sintomas da amigdalite

São vários os sintomas da amigdalite. Dentre os quais estão:

  1. Dor de garganta
  2. Dificuldade para engolir
  3. Falta de apetite
  4. Rouquidão
  5. Febre
  6. Cefaleias
  7. Mau hálito

Tratamento da amigdalite e recomendações

Durante o tratamento da amigdalite devem ser evitados alimentos gelados, como picolés, e alimentos gordurosos em geral, como frituras. Recomenda-se também que sejam ingeridas hortaliças cruas e frutas frescas.

Os tratamentos naturais incluem:

  1. Gargarejo com suco de pepino ou abacaxi: 

    O livro Medicina Alternativa de A a Z, de Carlos Nascimento Spethmann, recomenda o gargarejo do suco puro, com mel, 3 vezes por dia.

  2. Gargarejo com chá das folhas de abacate: 

    Recomenda-se uma concentração de 50 g de folha de abacateiro para cada litro de água morna. É importante que a água não esteja quente, pois isso pode causar o efeito contrário, agravando a amigdalite ao invés de cura-la.

  3. Compressa com polpa de tomate: 

    A compressa deve ser feita na região da garganta, duas vezes por dia.

Quanto aos tratamentos mais comuns, temos:

  1. Pastilhas, para o alívio das dores de garganta;
  2. Antibióticos, para o combate às bactérias causadoras das infecções;
  3. Anti-inflamatórios não esteroides, para tratar a inflamação;
  4. Penicilina, um antibiótico natural.

Cirurgia de retirada das amígdalas

Em último caso, se a amigdalite se torna muito frequente e os tratamentos convencionais não resolvem o problema, pode recorrer-se à amigdalectomia, ou seja, a cirurgia para retirada das amígdalas.

Quando fazer?

Nos anos 70, essa cirurgia era bastante comum, pois a função das amígdalas era desconhecida. Qualquer caso de amigdalite já era motivo para a realização do procedimento cirúrgico. Hoje em dia, no entanto, a amigdalectomia só é indicada para casos recorrentes, nos quais as infecções ocorrem mais de sete vezes em um só ano. Como as amígdalas exercem um papel importante no combate a microrganismos invasores, não é interessante retira-las, a menos que elas estejam fazendo mais mal do que bem.

Cuidados pós-operatórios

Após a cirurgia, é importante que o paciente não realize esforço físico por um período de até duas semanas. Além disso, durante 7 dias, a pessoa deve evitar alimentos crocantes ou muito quentes que possam ferir a garganta, ingerindo apenas líquidos frios ou gelados e alimentos de consistência pastosa, como mingau de aveia e purês.

A amigdalite é, portanto, uma inflamação das amígdalas que pode provocar uma série de sintomas, tais como febre, rouquidão e, como característica principal, dores de garganta e dificuldade em engolir. Felizmente, existem vários tratamentos à disposição e, no caso de amigdalite recorrente, há a possibilidade da cirurgia de retirada das amígdalas, a qual cessa definitivamente os sintomas.

Se você gostou deste artigo, por favor curta nossa página no Facebook, compartilhe com seus amigos e familiares e deixe seu comentário!

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

  • Publicidade