• Publicidade

Saiba como tratar o desvio do septo nasal

Mais de 80% dos brasileiros têm desvio de septo, em maior ou menor grau. Apesar de muitos casos serem assintomáticos, existem alguns sintomas desagradáveis, como congestão nasal e dores de cabeça. Embora o desvio de septo seja muito comum, não são todos os casos que precisam de cirurgia. Há outros tratamentos que podem substitui-la, evitando, assim, as complicações pós-operatórias da septoplastia. Neste artigo, traremos maiores detalhes a respeito do septo nasal e seu desvio. Vamos começar entendendo melhor o que é e para que serve o septo nasal.

O que é o septo nasal?

O septo nasal é a estrutura que divide o nariz em dois orifícios ou cavidades, denominadas narinas ou fossas nasais. Ele é composto por tecido cartilaginoso e pelos ossos etmoide e vômer. Além disso, ele possui um revestimento conhecido como mucosa nasal. A mucosa nasal é rica em células olfativas e é responsável pela secreção de muco. A função do septo nasal é orientar a corrente de ar e, para isso, é preciso que ele seja o mais retilíneo possível.

Septo nasal e desvio de septo

Desvio de septo

Desvio de septo é uma condição na qual o septo encontra-se deslocado lateralmente, para a esquerda ou para a direita. Com isso, uma das narinas fica mais estreita do que a outra, o que dificulta a passagem do ar e torna a congestão nasal mais frequente.

Ele pode ser causado por lesões, como quando a pessoa sofre um acidente ou leva um soco em uma briga, infecções ou mau desenvolvimento dos ossos faciais. Também pode ser herdado dos pais, ou seja, ele pode ser transmitido hereditariamente.

O diagnóstico do desvio é feito pelo médico otorrinolaringologista com o uso de um instrumento chamado espéculo nasal. Tomografias também podem indicar se há ou não o problema.

Quais os sintomas?

  1. Congestão nasal (nariz entupido): o nariz fica entupido devido ao excesso de muco. Em pessoas sem desvio, o muco obstrui igualmente as vias aéreas de ambas as cavidades nasais. Já em quem tem desvio, a obstrução ocorre muitas vezes apenas na narina mais estreita.
  2. Sangramento nasal: ocorre devido ao ressecamento da superfície deslocada do septo nasal. Sem o revestimento de muco, qualquer fricção pode ocasionar cortes e consequente sangramento.
  3. Perda olfativa (hiposmia): as células olfativas estão presentes em grande quantidade na mucosa nasal, no interior da cavidade nasal. Quando há desvio, a narina mais estreita fica obstruída, impedindo, assim, que os aromas cheguem às células olfativas.
  4. Roncos: a respiração ruidosa durante o sono se deve à obstrução parcial da passagem nasal devido ao desvio.
  5. Apneia do sono: também conhecida como apneia noturna, é um distúrbio no qual a pessoa para de respirar durante a noite. Devido ao desvio, as vias aéreas podem obstruir-se completamente, o que leva a esta condição.

Como é o tratamento?

O tratamento pode ser feito com a utilização de:

  1. Descongestionantes, os quais são eficazes na desobstrução das vias respiratórias quando entupidas por muco;
  2. Anti-histamínicos, indicados para o tratamento de rinite alérgica, também um sintoma do desvio de septo.

Além disso, podem ser utilizados dispositivos para dilatação das narinas (dilatadores nasais), permitindo uma melhor passagem do ar e, consequentemente, facilitando a respiração. Existem dois tipos principais de dilatadores nasais:

  1. Dilatador externo: ele se parece com uma fita adesiva e deve ficar colado sobre o nariz, impedindo, dessa forma, o fechamento das abas nasais;
  2. Dilatador interno: é feito de silicone e fica parcialmente dentro das fossas nasais, forçando as abas das narinas para fora.

Quem convive com o problema deve realizar frequentemente a lavagem do interior do nariz, evitando o acúmulo excessivo de muco e a congestão nasal por ele provocada.

Em última instância, a pessoa com desvio de septo deve recorrer à operação cirúrgica.

Cirurgia de desvio de septo (septoplastia)

O procedimento da septoplastia se dá da seguinte forma: o cirurgião realiza uma incisão na região do septo para retirar a mucosa que o reveste. Em seguida, são também retiradas as partes do septo que se encontram deslocadas e ele é então reposicionado. Por fim, reveste-se novamente a estrutura com a mucosa nasal.

A cirurgia não dura mais do que uma hora e meia e o paciente pode precisar de tampões para evitar eventuais sangramentos. A recuperação é rápida e não há quaisquer cicatrizes.

Possíveis complicações da cirurgia

A cirurgia, apesar de ser bastante recomendada em certos casos, pode trazer algumas complicações, tais como:

  1. Infecções;
  2. Hemorragia nasal (sangramentos);
  3. Perfuração do septo.

O septo nasal é, portanto, uma estrutura localizada no interior do nariz que serve para orientar a corrente aérea e separar as narinas. O desvio de septo é uma condição preocupante, visto que dificulta a passagem de ar e, entre outros sintomas, torna a congestão nasal mais intensa e frequente. Existem vários tratamentos para quem sofre com desvio de septo e, em último caso, há a possibilidade da realização de cirurgia para correção do problema.

Se você gostou deste artigo, por favor curta nossa página no Facebook, compartilhe com seus amigos e familiares e deixe seu comentário!

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

  • Publicidade