• Publicidade

Embolização de mioma: tratamento de tumores uterinos

Cerca de metade das mulheres, segundo pesquisas, teve ou ainda terá em algum momento um mioma uterino. A condição é muito comum, sendo registrados todos os anos mais de 2 milhões de casos só no Brasil. Felizmente, existem diferentes tratamentos para esse problema e o menos agressivo e mais seguro de todos é a embolização de mioma, embora seu preço atualmente não seja muito atrativo. Neste artigo, você obterá mais informações sobre a embolização de mioma e alguns outros tratamentos. Para começar, vamos entender melhor o que vem a ser o mioma.

O que é mioma?

Mioma, também conhecido como fibroma ou leiomioma, é um tumor benigno que surge no útero de mulheres adultas, embora, mais raramente, meninas a partir dos 6 anos já possam apresentar o problema. São vários os sintomas que apontam para um mioma uterino, tais como: dor na região pélvica, sangramento intenso durante a menstruação e uma maior duração do período menstrual. Além disso, cólicas fortes e dor durante o ato sexual podem ser sintomas de um tumor no útero. Mulheres com sobrepeso e predisposição genética são mais propensas a desenvolver esse problema, o qual pode durar a vida inteira se não for corretamente tratado. Existem, como já mencionado, diferentes tratamentos para eliminar os tumores e seus sintomas. Aqui, falaremos mais detalhadamente a respeito da embolização de mioma.

O que é a embolização de mioma e como ela surgiu?

O procedimento foi criado por um ginecologista francês em 1995 e consiste numa técnica extremamente moderna para supressão dos miomas. A embolização de mioma, além de ser eficaz em quase 100% dos casos, não provoca dor nas pacientes e evita que o útero seja retirado, como ocorre na histerectomia, permitindo, consequentemente, que a mulher engravide posteriormente.

Apesar de ser altamente recomendada, a embolização de mioma, em raras ocasiões, pode gerar complicações, como febre, náuseas ou infecções. Todos esses problemas, no entanto, podem ser resolvidos com o uso de medicamentos específicos.

Cerca de 90% das mulheres, após o procedimento, voltam a ter menstruações regulares e com sangramento normal. Um ano depois da embolização, os miomas já regrediram quase 90%.

Embolização de mioma: tratamento de tumor no útero

Como é o procedimento da embolização de mioma?

A embolização de mioma ocorre da seguinte forma: é feito um pequeno furo de cerca de 2 milímetros de diâmetro na virilha da mulher e introduz-se um cateter. O cateter é então guiado até as artérias que alimentam o mioma com sangue. Por fim, o aparelho introduz pequenas esferas que, ao entupir essas artérias, impedem a passagem do sangue que rega os miomas. Dessa forma, sem sangue para nutri-los, eles regridem e são eliminados.

A embolização não necessita de cortes e, portanto, não deixa cicatrizes. Além disso, é utilizada anestesia local para que a paciente se sinta confortável no decorrer de todo o procedimento.

Como é a recuperação?

A paciente fica internada por um período máximo de 1 dia, não havendo sequelas nem necessidade de repouso prolongado. Depois de cerca de 3 dias, a pessoa já pode voltar a realizar suas atividades cotidianas normalmente. O fluxo menstrual é normalizado após cerca de dois ou três meses.

Como prevenir o mioma?

Confira abaixo algumas dicas para prevenir o desenvolvimento de tumores uterinos:

  • Pratique atividades físicas regularmente;
  • Mantenha o peso ideal;
  • Diminua o consumo de carne vermelha;
  • Aposte no consumo de vegetais verdes;
  • Tome anticoncepcionais.

Preço da embolização de mioma

O preço do procedimento fica em torno de R$6 mil a R$10 mil, não sendo coberto pelo SUS. Recentemente, vem sendo usada, na Inglaterra, uma nova técnica de embolização de mioma que permite um menor custo. Ela está chegando ao Brasil, tendo sido explanada, em 2016, aos médicos do Instituto de Radiologia do Hospital de Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo pelo médico britânico Christopher Nigel Hacking.

Outros tratamentos

Outros tratamentos para o mioma uterino incluem:

  1. Histerectomia: 

    A histerectomia é a retirada total ou parcial do útero para eliminar sintomas de problemas graves como câncer, infecções e, é claro, miomas. Essa cirurgia é muito agressiva, dolorosa e pode gerar complicações como febre, dor abdominal e náuseas.

  2. Miomectomia: 

    É a cirurgia de retirada dos miomas. Existem 3 tipos diferentes de miomectomia: a laparoscópica, a abdominal e a histeroscópica. A mais agressiva é a abdominal, que exige um corte na região pélvica.

  3. Medicamentos: 

    Os sintomas podem ser controlados com o uso de anti-inflamatórios. Para diminuir o tamanho dos tumores, são receitados medicamentos análogos do GnRH (hormônio liberador de gonadotrofina), os quais diminuem a produção de estrogênio, criando uma pseudo-menopausa.

A embolização de mioma é, portanto, um procedimento médico que possibilita a eliminação de tumores no útero através da obstrução das artérias que nutrem os mesmos. Sem receberem sangue, os tumores regridem. É um procedimento seguro e fortemente recomendado para quaisquer mulheres que sofram desse problema, possuindo diversas vantagens sobre outros tratamentos mais convencionais, como a histerectomia e a miomectomia. O preço pode ser a única desmotivação para a realização desse procedimento.

Se você gostou deste artigo, por favor curta nossa página no Facebook, compartilhe com seus amigos e familiares e deixe seu comentário!

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

  • Publicidade