• Publicidade

Conhecendo os adoçantes: os tipos, as características, os benefícios e malefícios de cada um

Adoçantes: Tipos, características, benefícios e malefíciosSe você está tentando reduzir o açúcar e consequentemente as calorias de suas refeições, uma opção é o uso de adoçantes ou de outras substâncias que possam substituir o açúcar.

Os adoçantes e os outros substitutos do açúcar são encontrados em uma ampla variedade de alimentos e bebidas. Entre esses estão os produtos “sem açúcar” ou “diet”, que incluem os refrigerantes, os chicletes, alguns pães e doces, sucos, sorvetes entre outros.

Adoçantes naturais

Stévia

Extraída de uma planta nativa da América do Sul, essa substância tem um poder adoçante 300 vezes maior do que a sacarose (açúcar refinado). Pesquisas revelaram que esse adoçante natural auxilia no controle da pressão arterial e pode ser benéfico para pessoas com diabetes tipo 2.

Frutose

A frutose é um adoçante extraído de frutas tais como as laranjas, as maçãs e os melões, além de ser extraído do mel também. Sua doçura é 170 vezes maior do que o tradicional açúcar de mesa.

Esse é um adoçante que deve ser usado moderadamente, principalmente pelos diabéticos, pois o uso do mesmo pode elevar consideravelmente os níveis de açúcar no sangue. Problemas dentários a exemplo das cáries também podem ocorrer.

Sorbitol

Bastante utilizado na fabricação de adoçantes artificiais, o sorbitol é um adoçante natural extraído das algas marinhas, assim como de algumas frutas também. Seu teor de doçura é 50% maior do que a sacarose (açúcar refinado).

Esse adoçante é normalmente usados em produtos como os chicletes, os refrigerantes, as balas e alguns tipos de geleia, sendo contraindicados para os diabéticos.

Açúcar alcoólico (Polióis)

O açúcar alcoólico são os carboidratos naturais de determinadas frutas e vegetais, mas também podem ser fabricados. Eles são considerados adoçantes menos intensos, sendo que alguns são menos doces do que o açúcar refinado (sacarose). Esse é um adoçante indicado para as pessoas que sofrem do diabetes tipo 2.

Adoçantes artificiais

Sacarina

Sintetizada a partir de ácidos derivados do petróleo, a sacarina é normalmente 300 vezes mais doce se comparado à sacarose. Esse é um tipo de adoçante não indicado para o uso, já que estudos associaram a sacarina ao surgimento de certos tipos de câncer.

Tagatose

Esse adoçante é produzido através do açúcar do leite (lactose). O teor de doçura da tagatose é praticamente o mesmo da sacarose, com a diferença que esse não aumenta os níveis de glicose no sangue. É um adoçante considerado seguro para o uso, porém o consumo excessivo pode acarretar em gases e diarreias.

Sucralose

A sucralose é uma adoçante que não pode ser absorvido pelo organismo devido a ter em sua composição moléculas de cloro. Seu teor de doçura é aproximadamente 500 vezes maior do que o açúcar refinado.

Esse é um adoçante zero calorias, não eleva os níveis de glicose no sangue sendo indicado para os diabéticos. Não há indícios de contraindicações para o uso da sucralose, pelos menos até o momento, os estudos não encontraram nada que possa causar efeitos negativos.

A sucralose é muito utilizada em produtos “diet” e “light”, muito por não ter um gosto residual amargo, comum entre os adoçantes.

Acessulfame-K

Com um teor de doçura de até 200 vezes maior do que à sacarose, esse é um dos adoçantes artificias considerado seguro para se usar. Seu uso vai desde a fabricação de pães até a fabricação de bebidas. O organismo não consegue absorver o acessulfame-K, eliminando o mesmo através da urina.

Aspartame

Esse é sem sombra de dúvidas o pior tipo de adoçante que existe. Estudos já apresentaram mais de 90 efeitos colaterais relacionado ao uso do aspartame. O correto seria classificar essa substância como veneno, e não como adoçante. Os danos causados à saúde podem ser graduais ou imediatos.

Os efeitos nocivos do aspartame podem desencadear os seguintes problemas:

  • Dores de cabeça;
  • Aumento de peso;
  • Náuseas;
  • Tontura;
  • Problemas cardíacos;
  • Dores nas articulações;
  • Problemas de memória;
  • Irritabilidade e alterações do humor;
  • Convulsões.

Clicamato de sódio

Muito utilizado em uma série de alimentos (infelizmente), o clicamato de sódio foi relacionado a alguns tipos de câncer e a complicações alérgicas. Nos Estados Unidos seu uso foi proibido, mas em alguns países (inclusive no Brasil) a utilização é livre.

Esse tipo de adoçante está entre os adoçantes mais nocivos para a saúde, sendo contraindicado para gestantes, pessoas com hipertensão e com problemas renais. Seu teor de doçura é 50 vezes maior se comparado à sacarose.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre os adoçantes, fica mais fácil decidir quais utilizar. Do mesmo modo, confira a embalagem dos alimentos a fim de verificar se algum deles foi utilizado na fabricação do mesmo.

O artigo foi útil para você? Comente, curta, compartilhe…

Veja também…
Conheça a nova e eficaz alternativa que é usada no lugar do adoçante ou do açúcar comum nas dietas
6 maneiras de diminuir o consumo de açúcar e melhorar a qualidade de vida
15 alimentos com alto Índice glicêmico
O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ADOÇANTES (NATURAIS, ARTIFICIAIS, CALÓRICOS E NÃO CALÓRICOS)

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Publicidade